Federação Nacional dos Corretores de Imóveis

  • Aumentar tamanho da fonte
  • Tamanho da fonte padrão
  • Diminuir tamanho da fonte

PANORAMA NACIONAL II

E-mail Imprimir

Dando prosseguimento à série Panorama Nacional, o site da Fenaci entrevista os presidentes dos Sindicatos de Corretores de Imóveis do Estado do Mato Grosso do Sul (Sindimóveis-MS), James Antônio Gomes, e o presidente do Sindicato dos Corretores de Imóveis do Estado de Pernambuco, Paulo Rodrigues de Souza Filho, que conversam com nossos leitores sobre o momento do mercado imobiliário em seus respectivos estados, bem como as perspectivas para os profissionais e a atuação das entidades.


Análise do mercado regional, da situação da categoria e da atuação do sindicato

James Gomes - O mercado do Mato Grosso do Sul, notadamente a capital Campo Grande, se encontra no mesmo patamar de 2011, com as vendas aquecendo agora a partir de fevereiro, com o fim do período de férias escolares. O interior hoje, com ênfase em cinco cidades como Nova Andradina, Naviraí, Três Lagoas, Dourados e Ponta Porã, impulsionadas pelos negócios gerados pelo programa do Governo Federal Minha Casa, Minha Vida têm se tornado a bola da vez do cenário imobiliário sul-matogrossense, mas a capital continua oferecendo bons negócios. Neste aspecto, posso garantir que o nosso mercado atravessa um bom momento. Quem está disposto a trabalhar consegue vender, e nós aqui do Sindimóveis-MS estamos sempre à postos para facilitar o trabalho dos corretores e corretoras de imóveis do nosso Estado.

Hoje, por exemplo, dentro do sindicato, nós temos a presença da Caixa Econômica Federal, no formato de correspondente bancário, que atende a cerca de quarenta corretores de imóveis por dia, eliminando a ida do profissional ou do cliente até uma agência da Caixa. Basta apresentar os documentos necessários que são enviados para a instituição que avisa aos interessados quando do fechamento do negócio. Em breve, no máximo em seis meses, até mesmo a assinatura do contrato se dará nas dependências do sindicato.

Ainda oferecemos serviços de retirada de certidões de registros, etc., facilitando a vida do corretor de imóveis associado, que quase sempre dispõe de pouco tempo para esse trabalho.

Ainda dentro do sindicato, temos um canal aberto com a prefeitura, através do qual conseguimos o fornecimento de cadastros, guias de ITBI para recolhimento do imposto, como forma de também agilizar o trabalho dos profissionais. A meta é criar essa estrutura dentro da prefeitura, estreitando ainda mais os laços com o poder público. Fora isso estamos concluindo o nosso clube para incrementar a vida social e aumentar o espaço de lazer da categoria.

Na parte de atualização e crescimento profissional pretendemos oferecer palestras e oficinas para os Corretores de Imóveis trazendo assuntos de extremo interesse para a categoria. O primeiro palestrante que pretendemos trazer é o professor e Corretor de Imóveis Paulo Xavier, da Universidade Mackenzie, do Rio de Janeiro, para falar sobre o Novo Código Civil e os Corretores de Imóveis. Um assunto de primeira necessidade.

Paulo Rodrigues - No momento podemos comemorar dados que demonstram a existência de uma economia pujante que permitem boas condições de trabalho para os Corretores de Imóveis. A boa fase do mercado imobiliário em Pernambuco tem acompanhado a economia e as projeções para 2012 são as mais otimistas possíveis. Esse cenário decorre em função de o PIB (Produto Interno Bruto) pernambucano ter crescido mais em relação ao PIB nacional, devido em grande parte ao alto investimento industrial no litoral sul, no complexo portuário de Suape, que já conta com 130 empresas instaladas, quanto no litoral norte, onde a Fiat já iniciou a instalação da sua fábrica.

No interior do estado, duas obras oficiais, a construção da Ferrovia Transnordestina e a transposição das águas do rio São Francisco estão desenhando um novo modelo de desenvolvimento para a população do Agreste e do Sertão, com forte reflexo no segmento imobiliário local.

Ainda é importante citar que com a realização da Copa do Mundo em 2014, a Copa das Confederações em 2013, bem como as Olimpíadas em 2016 contribuirão significativamente para o crescimento do mercado imobiliário como um todo. A construção civil em nosso estado, no ano de 2011, foi responsável por um crescimento de 19% em relação ao ano anterior.

Outra boa notícia é de que em 2012 estima-se que o financiamento imobiliário alcance cerca de R$ 150 bilhões, o que representa um aumento de 30% em relação ao ano anterior. De modo que avaliada toda essa situação, é hora de do Corretor de Imóveis ficar atento às exigências de um mercado onde as demandas estão em constante desenvolvimento, e trabalhar com o foco no crescimento profissional, visando a prestação de um serviço cada vez mais eficiente e diferenciado.

Em relação às essas novas exigências profissionais, o sindicato tem como foco, neste ano, que á a ampliação do nosso curso de TTI. O sindicato pretende oferecer uma série de palestras que venham a acrescentar mais conteúdo a carga curricular própria do curso, proporcionando ao aluno um novo patamar de conhecimento em relação às mudanças que vem ocorrendo no mercado, mas principalmente como deve ser o atendimento em relação às exigências de documentação do imóvel que está sendo colocado à venda, quais são os cuidados em relação aos registros notariais, enfim, estamos oferecendo uma preparação mais adequada para o bom exercício profissional.

Participação dos Sindimóveis e da categoria no XXVI CONACI

James Gomes - Nós já estamos trabalhando no boca a boca da divulgação do evento, em uma primeira fase. Assim que for definida a parte programática do Conaci, intensificaremos ainda mais este trabalho de divulgação. É de nossa intenção também, preparar palestras e trabalhos para serem apresentados durante o evento, além é claro, de tentarmos levar o maior número possível de corretores e corretoras de imóveis aqui do Mato Grosso do Sul. Queremos motivar os profissionais daqui para que sigam para São Paulo em busca de atualização e crescimento profissional neste que é o maior evento nacional da nossa categoria.

Paulo Rodrigues – O evento do Conaci proporciona que no âmbito de toda a federação possamos debater assuntos que interessam ou que vem afligindo a nossa categoria profissional no desempenho das atividades. Como exemplo eu citaria duas propostas que foram enviadas pelo Sindimóveis-PE à Comissão Organizadora Nacional do Congresso, na pessoa do presidente do Sindicato dos Corretores de Imóveis do Estado de São Paulo (Sciesp), Alexandre Tirelli.

A primeira delas diz respeito à discussão dos Terrenos de Marinha, a cobrança deste imposto pela União, que se manifesta claramente como uma impropriedade, um anacronismo, um imposto abusivo e que alcança todos os estados da federação. A Caixa Econômica Federal, por exemplo, não pode financiar imóveis que ocupem essas áreas, em função da taxa de ocupação, o que diminui a oferta de imóveis nestas áreas.

Uma outra proposta apresentada diz respeito à necessidade de uma nova forma de composição do Conselho Federal de Corretores de Imóveis (Cofeci) e dos Conselhos Regionais de Corretores de Imóveis (Creci’s), uma vez que antigamente, nos seus primórdios, afirmava que em sua composição deveriam constar 1/3 de corretores de imóveis entre seus representantes para proporcionar uma discussão mais ampla dos interesses da categoria. Então, 1/3 destes representantes eram eleitos pelos Sindimóveis para representar os interesses dos Corretores de Imóveis. Isso foi abolido, em função de uma lei, em 2003, que tirou essa representatividade dos sindicatos. Vale lembrar que esses conselhos devem ter uma participação mais representativa do conjunto da sociedade, por isso a nossa proposta de se retornar ao movimento sindical, através de Corretores de Imóveis devidamente eleitos, o devido lugar nestes conselhos, como forma de coibir esta prática antissindical.