Federação Nacional dos Corretores de Imóveis

  • Aumentar tamanho da fonte
  • Tamanho da fonte padrão
  • Diminuir tamanho da fonte

PANORAMA NACIONAL III

E-mail Imprimir

A terceira etapa do Panorama Nacional do mercado imobiliário sob a ótica dos Sindimóveis estaduais traz os depoimentos da presidente do Sindicato dos Corretores de Imóveis do Estado do Amazonas, Jane Picanço, e do presidente do Sindicato dos Corretores de Imóveis do Estado do Rio Grande do Sul, Sidney Fontoura Gomes. As regiões Norte e Sul se unem para discutir questões inerentes aos corretores de imóveis. A partir dos assuntos abordados podemos observar que as diferenças são mínimas quando a questão é o bom exercício da nossa profissão.


Análise e perspectivas do mercado imobiliário e da atuação da entidade sindical

Jane Picanço Com relação ao mercado imobiliário do estado do Amazonas, especificamente em relação à Manaus, ele se mostra bastante promissor, com empresas de fora, principalmente paulistas, prospectando negócios em nosso mercado, buscando parceria com empresas locais, e isto tem proporcionado um grande crescimento em termos de geração de negócios e de novas oportunidades.

O consumidor manauara que estava acostumado a morar em casas, agora com a tendência de verticalização das moradias, se abriu a um novo leque de bons negócios, abrindo oportunidades antes inimagináveis, proporcionando novas opções de moradias para todos os níveis sociais, que se aproveitam de programas habitacionais tanto em nível estadual, quanto federal e que atingem todos os níveis de renda.

Além disso, a atuação do nosso polo industrial e da nossa economia, com destaque para a Zona Franca, e com o nosso PIB sempre em alta, faz com que o mercado imobiliário em todo o estado apresente um quadro de permanente crescimento.

Outro fator preponderante do crescimento do nosso mercado diz respeito à construção da ponte entre Manaus e Iranduba, que vai aumentar área metropolitana da capital, permitindo o aumento de ofertas de terrenos e projeções para a outra margem do Rio Negro, e isto para a categoria se configura em uma oportunidade de maiores e melhores condições de trabalho para a nossa categoria.

O Sindimóveis-AM é um sindicato jovem, tendo sido reconstituído a pouco menos de três anos, mas nem por isso deixamos de investir nas ações que acreditamos melhores para a nossa categoria como por exemplo a questão da atualização e qualificação profissional.

Neste sentido, temos oferecido cursos de avaliação profissional reconhecidos como de ótima qualidade pelo mercado, estamos estudando formas de implementar a oferta de um curso de Técnicas de Transações Imobiliárias, como forma de democratizar e qualificar o acesso à nossa profissão, em uma inédita parceria com o Governo do Estado, via Secretaria de Educação, oferecendo além de um ensino de qualidade, o instituto da gratuidade no curso de TTI.

Outra ação na área de qualificação profissional também traz a assinatura de um convênio com uma universidade de Manaus, o Ciesa, no sentido de oferecer aos corretores de imóveis amazonenses cursos superiores de Gestão Imobiliária, além de acesso aos cursos de Direitos e Administração que são inerentes ao nosso exercício profissional.

Na área de assistência médica e odontológica já estamos em tratativas para fechar contrato com uma grande empresa do setor a fim de que os corretores e corretoras de imóveis do Amazonas, bem como seus familiares e dependentes desfrutem de mais este benéfico, que vai gerar tranquilidade ao profissional, aumentando sua capacidade de dedicação exclusiva ao fechamento de bons negócios.

Sidney Fontoura O mercado imobiliário gaúcho se encontra em um momento muito bom, desmentindo um ou outro pessimista de plantão que tenta enxergar a existência de uma possível bolha no nosso segmento. Na verdade, o que existia era um forte déficit em relação a novas unidades habitacionais que a despeito do aumento do ritmo de construções não conseguiu suprir a demanda deste mercado comprador.

Existe um panorama de dificuldades que envolvem todas as pontas do processo, atingindo a comercialização de imóveis novos e usados, uma vez que a indústria não consegue entregar imóveis por falta de materiais de construção, retração na oferta de mão-de-obra, dificuldade na aprovação de projetos, enfim, uma série de fatores que dificultaram e dilataram este ciclo, que tinha a duração de aproximadamente trinta meses.

Em tese, o lançamento do imóvel novo disponibilizava a entrada de mais um imóvel usado no mercado. Na medida em que foram dificultando a aprovação de projetos, a falta de materiais, etc.., este ciclo passou de trinta para quarenta meses, criando-se a falsa impressão de que o mercado não estava mais comprador e se gerando a falsa expectativa de existência de uma bolha.

Na verdade, a percepção deste processo se configurou tão somente em um erro de análise, ocasionado pela expansão deste ciclo provocado por uma situação anômala impulsionada por uma grande demanda imobiliária represada há muito tempo.

O que vemos atualmente, aqui no Rio Grande do Sul, é um reposicionamento do mercado imobiliário com vistas a atender as tais demandas represadas e pavimentar o caminho para que o nosso crescimento continue sólido e contínuo.

Quem efetivamente vivencia o nosso mercado, observa que as ofertas permanecem, os negócios realizados estão de pé, o volume de crédito imobiliário continua em curva ascendente; em suma, o mercado está crescendo com vistas a superar o patamar dos anos anteriores.

As nossas projeções de crescimento abrangem o período de uma década, ainda mais se o programa Minha Casa, Minha Vida mantiver seu padrão de inclusão de novos clientes que até então se encontravam aleijados enquanto consumidores de imóveis.

Então, todo esse ciclo virtuoso é extremamente benéfico para uma atuação mais efetiva dos corretores de imóveis, principalmente para aqueles que buscam se adequar aos novos tempos que regem a nossa atuação profissional, onde a qualificação se transformou no grande diferencial.

Neste aspecto da qualificação dos nossos profissionais, o Sindimóveis-RS abriu canais diretos com a categoria através de programas de televisão, publicações de notícias na mídia impressa, através do nosso site, do envio de newsletters, e também através de palestras realizadas em todo o estado, onde informações atualizadas e pertinentes ao exercício profissional são disponibilizadas para toda a categoria.

Este processo de atualização e qualificação dos corretores de imóveis acabou se configurando em um procedimento simbiótico, onde o profissional mais bem informado é absorvido de forma mais imediata pelo mercado, uma vez que construtoras, incorporadoras e agentes financeiros participam deste esforço pela melhoria da capacidade de trabalho desse profissional.

Então, nós temos além dos cursos, que são em número de trinta, promovido estado afora, jornadas onde apresentamos aos corretores de imóveis gaúchos um amplo leque de assuntos de seu interesse.

Por isso, esperamos que a categoria se faça presente, participe, procure o sindicato e venha auferir dos benefícios que a entidade está oferecendo. Nós estamos ofertando a principal mercadoria do século XXI, que é a informação. E isto não tem preço!

Realização do XXIV Conaci e a participação da entidade no evento

Jane Picanço - Por incrível que pareça esperamos uma grande participação de profissionais amazonenses neste congresso que será realizado na cidade de São Paulo, uma vez que por conta do perfil industrial da Zona Franca e a pujança da economia paulista, os custos da passagem aérea entre Manaus e São Paulo são mais baratos os praticado em relação aos demais estados da federação.

Mas, para que esta expectativa se concretize, antes da realização deste grande evento, temos de preparar um terreno de extrema união entre todos os sindicatos, como forma de reafirmar a unicidade da nossa categoria e da atuação sindical.

Temos que amalgamar as nossas aspirações e ações no sentido de que não haja privilégios e atenções demasiadas para uma ou outra região. Nossa proposta maior, que eu tenho certeza que é também a da Fenaci ao realizar o Conaci, é de que a nossa categoria seja reconhecida como una e forte.

Sidney Fontoura Em relação ao Conaci já iniciamos os nossos preparativos para marcar presença efetiva neste grande evento. Na primeira semana de março já faremos contatos com uma operadora de viagens no intuito de estabelecer condições para que o Rio Grande do Sul se faça presente no evento com uma grande e expressiva delegação. Nossa ideia é que os que participarem do evento, que dura quatro dias, estendam sua permanência por, pelo menos, uma semana, de forma que possam desfrutar de todas as benesses que a cidade de São Paulo oferece, tanto em termos turísticos, de lazer, gastronômicos e culturais.

Esta proposta via oferecer aos profissionais que participarão do Conaci, uma chance ímpar de acesso a produtos culturais que, dificilmente poderiam desfrutar em suas cidades de origem.

No nosso entendimento, este acréscimo de produtos culturais no cardápio do evento  é extremamente benéfico para o corretor de imóveis que ao dispor de produtos culturais de qualidade, se coloca no mesmo patamar dos clientes com os quais interage. Passamos de corretores para o nível de consultores. E para tanto, essa participação no Conaci é fundamental.