Federação Nacional dos Corretores de Imóveis

  • Aumentar tamanho da fonte
  • Tamanho da fonte padrão
  • Diminuir tamanho da fonte

XXIV CONACI: UGT PARTICIPA DE MESA SOBRE ORGANIZAÇÃO SINDICAL E O TRABALHO NO MERCADO IMOBILIÁRIO

E-mail Imprimir

Ricardo Patah e Canindé Pegado, respectivamente, presidente e secretário geral da União Geral dos Trabalhadores (UGT), participaram das discussões do 1º Fórum Nacional de Organização Sindical e as Relações do Trabalho no Mercado Imobiliário, que aconteceu durante o XXIV Congresso Nacional de Corretores de Imóveis (CONACI), realizado pelo Sindicato dos Corretores de Imóveis no Estado de São Paulo (SCIESP), de 16 a 19 de setembro, no Transamérica Expo Center, na capital paulista.

A mesa coordenada por Patah contou com a presença de Francisco Antônio Feijó e Carlos Alberto Schmitt de Azevedo, respectivos, presidente e tesoureiro geral da Confederação Nacional dos Profissionais Liberais (CNPL), Aylza Gudin, Chefe da Seção de Relações do Trabalho de São Paulo e da Dra. Vanessa Cristina da Silva, advogada do SCIESP.

Patah enfatizou a importância de se fortalecer a organização sindical no setor imobiliário que, nesse período de crescimento econômico brasileiro, vem se desenvolvendo de forma sustentável e consolidando o mercado como um dos mais fortes do mundo.

Segundo Aylza, o sindicalismo brasileiro está a caminho de um apogeu perante o mundo, conquistando diversas vitórias em relação aos avanços dos direitos da classe trabalhadora graças à evolução que está acontecendo no sindicalismo e que, diretamente, faz com que o Ministério do Trabalho e Emprego (MTE) acompanhe essas mudanças.

O secretário geral da UGT, Canindé Pegado, destacou o trabalho da UGT e sua contribuição para o cenário de mudança do movimento sindical apontado pela Dra. Aylza Gudin. “A UGT nasceu há cinco anos com a proposta da unicidade e pluralidade dentro de uma entidade democrática, ética, cidadã e inovadora para enfrentar os desafios encontrados nos poderes executivo, legislativo e judiciário”, explica o dirigente.

A luta sindical que promoveu uma mudança no enquadramento sindical brasileiro, principalmente, no que se refere à organização dos trabalhadores e trabalhadoras do setor imobiliário, em especial, a partir da regulamentação da profissão em que deixou de ser agente autônomo do comércio e passando a ser profissional liberal, foi o tema principal da explanação do presidente da CNPL, Francisco Antônio Feijó.

Para Carlos Alberto, a luta sindical para os corretores (as) de imóveis é fundamental para ampliação dos direitos de uma categoria que, apesar de algumas ações estaduais focadas na pauta de um salário base, ainda não existe um piso salarial nesse setor, 13º, férias, finais de semana, feriados ou benefícios de trabalhadores regidos por CLT (Consolidação das Leis Trabalhistas), pois se o (a) corretor (a) não produz, também não recebe.

A organização sindical é fundamental para todas as categorias profissionais, principalmente, porque num estado democrático a vontade popular se expressa não por ações individuais, e nesse conceito o sindicalismo brasileiro é pontual ao buscar o fortalecimento da unidade das bases de trabalhadores para avançar na luta por melhore distribuição de renda e qualidade laboral.

Por Fábio Ramalho – Redação UGT