Federação Nacional dos Corretores de Imóveis

  • Aumentar tamanho da fonte
  • Tamanho da fonte padrão
  • Diminuir tamanho da fonte

ELEIÇÃO NA CNPL CONSAGRA CHAPA LIDERADA POR CORRETOR DE IMÓVEIS

E-mail Imprimir

Em eleição realizada no último dia 7 de novembro, a Confederação Nacional das Profissões Liberais (CNPL), entidade de grau superior, que conta com uma estrutura sindical que abrange 27 federações filiadas, mais de 600 sindicatos representantes de 51 profissões e de cerca de 15 milhões de profissionais em todo o País, trabalhando em prol de seus representados, no sentido de lutar por seus interesses, elegeu pela primeira vez em sua história, para o cargo de dirigente máximo, um representante da profissão liberal dos corretores de imóveis.
O eleito foi Carlos Alberto de Azevedo, atual Tesoureiro da entidade e ainda presidindo a Federação Nacional dos Corretores de Imóveis.
 A eleição foi fruto de um consenso político, o que caracterizou a concordância de todos os envolvidos no processo eleitoral com os rumos vitoriosos mantidos pela entidade maior dos profissionais liberais.
"Mais do que assumir um posto de relevância nas questões que envolvem o exercício pleno e democrático das profissões liberais, externo minha satisfação e a honra em poder representar o ideário daqueles que buscam pleno reconhecimento de seu papel preponderante no crescimento político, econômico e social do País", afirmou Azevedo.
O presidente eleito destacou que todos os esforços da nova diretoria, bem como os recursos da CNPL, estarão direcionados em prol da formação ampla, geral e irrestrita dos profissionais liberais visando a aquisição, solidificação e democratização de conhecimentos que possibilitem ampliação do mercado de trabalho das categorias filiadas junto à CNPL.

Manutenção das conquistas
Mas, para Azevedo, a maior luta da nova diretoria deve ser a intensificação do trabalho político  em termos de manutenção e ampliação das conquistas obtidas pelos profissionais liberais ao longo de muitos anos de lutas.
"A união dos movimentos sindicais é um objetivo permanente. Através dela poderemos debater, com todas as categorias de trabalhadores, diuturnamente, sobre a importância de uma participação efetiva na determinação dos nossos destinos profissionais", conclamou.
Para Azevedo, o sucesso destas propostas passa pela conscientização da importância do recolhimento da contribuição sindical e pela coesão no encaminhamento da defesa das principais demandas dos, profissionais liberais.
"Em relação ao recolhimento da contribuição sindical nunca é demais lembrar que a remuneração efetuada pelo trabalhador reverte para si próprio e também em benefício de sua categoria laboral, permitindo que as entidades representativas atuem de forma eficiente e independente", explica Azevedo.
Um exemplo de bom combate, segundo Azevedo, é a luta dos movimentos sindicais contra a proposta de flexibilização dos direitos adquiridos pelos trabalhadores na CLT.
"Temos a obrigação, enquanto dirigentes sindicais de nos posicionarmos contrariamente a esta verdadeira violência contra os trabalhadores. Direitos adquiridos não podem ser negociados, muito menos flexibilizados", exortou Azevedo.
E para mostrar que essa união proposta ultrapassa o terreno da retórica, a CNPL trabalha pelo amplo reconhecimento das parcerias com as demais confederações e centrais sindicais, com o apoio das entidades de base da instituição.
A posse da nova diretoria da CNPL será no dia 1º de janeiro de 2013, na sede da entidade.