Federação Nacional dos Corretores de Imóveis

  • Aumentar tamanho da fonte
  • Tamanho da fonte padrão
  • Diminuir tamanho da fonte

APRIMORAMENTO PROFISSIONAL É UM DOS FOCOS DA NOVA GESTÃO DA CNPL

E-mail Imprimir

Desde o dia 1º de janeiro de 2013, a Confederação Nacional das Profissões Liberais – CNPL está sendo comandada pelo corretor de imóveis, Carlos Alberto Schmitt de Azevedo que, nas últimas gestões, ocupou cargos diversos na Diretoria da CNPL, sendo que na última foi tesoureiro-geral da Entidade.

Carlos Alberto assume a presidência da CNPL com o objetivo de estimular ações em prol dos profissionais liberais de todo o País, articulando parcerias entre entidades sindicais coligadas e órgãos governamentais.

Prioridades da próxima gestão da CNPL

Daremos continuidade aos projetos políticos iniciados nesta gestão, comandada pelo presidente Francisco Antonio Feijó, intensificando algumas ações com a base. Nós queremos intensificar as ações voltadas à formação sindical e à qualificação profissional. Vamos reativar a nossa Escola de Formação, a UNICNPL, para promovermos a qualificação profissional. Dessa forma, imaginamos que teremos condições de atuar em todas as regiões do Brasil, realizando cursos de formação sindical para a nossa base de federações e de sindicatos filiados, e também para os sindicatos que ainda não estão organizados em federações e, até mesmo, para os sindicatos que não estão filiados à própria CNPL. Isso seria uma forma de incentivar a participação das entidades filiadas nas questões empreendidas pela CNPL. Ao envolver as entidades, priorizando a formação profissional, nos permitirá ampliar a nossa base.

Queremos também ampliar as nossas relações com os Poderes Legislativo, Executivo e Judiciário, mostrando a eles exatamente quem é o profissional liberal, e o que a nossa Classe representa para o Brasil, bem como a nossa organização sindical, já quase centenária. Também pretendemos aprofundar as relações sindicais juntamente com as demais confederações e com o Fórum Sindical dos Trabalhadores - FST.

Nessas relações sindicais, também ampliaremos a participação dos sindicatos dentro da Confederação, através de seminários, congressos, fóruns, para que possamos fazer as nossas políticas alinhadas com as políticas da nossa base.

Outra importante questão, que está em nossa pauta de atuações, diz respeito às negociações salariais de diversas associações de nível federal, onde os profissionais liberais estão desamparados.  A CNPL já está atuando junto a essas associações e queremos ampliar essa participação com outras categorias e associações de profissionais liberais. Sem dúvida alguma, eu

imagino que o trabalhador e o profissional liberal esperam isso da Entidade de classe.

 
O futuro do profissional liberal

A CNPL avançou em muitos aspectos e a nossa ideia é que ela continue avançando. Uma questão que nos preocupa muito é a invasão estrangeira que está acontecendo em relação à concorrência com os nossos profissionais, em diversas áreas. Pretendemos investir em ações políticas para reverter este cenário, estando mais próximos dos sindicatos e das federações, para que possamos debater e encontrar soluções para esta situação.

Estamos certos de que nos próximos anos, o profissional liberal terá muitas oportunidades no mercado de trabalho. Mas, é preciso considerar que ele terá também uma grande concorrência externa, em muitos setores da economia. Hoje, fala-se que mais de 150 mil profissionais da área tecnológica, que estão vindo de outros países, concorrem no nosso mercado de trabalho. Isso mostra

que precisaremos nos qualificar cada vez mais para enfrentar esse desafio. Precisamos cuidar para que não haja invasão estrangeira que tire o emprego dos nossos profissionais.

Além disso, continuaremos lutando para que o profissional liberal seja incluso no Simples Nacional. Vale lembrar que a CNPL ingressou no STF, por meio de uma Adin, buscando a inclusão de todas as categorias de profissionais liberais no Super simples.

É importante ressaltar ainda que, há 30 anos, a pessoa concluía o curso de graduação e não precisava fazer mais nada. Atualmente, há necessidade da qualificação permanente do profissional. Precisamos de especializações. O mundo cada vez é mais global e plano. Todas as simulações e estudos mostram que o cenário é positivo, mas nós necessitamos de preparo e qualificação para poder fazer esse enfrentamento.

PERFIL DO NOVO PRESIDENTE DA CNPL

    Carlos Alberto Schmitt de Azevedo é corretor de imóveis há 38 anos. Iniciou sua participação política classista em 1980, como 2º diretor secretário do Sindicato dos Corretores de Imóveis do Estado do Rio Grande do Sul, assumindo a presidência da Entidade nas gestões de 1983/1986, 1986/1989, 2001/2004, 2004 a 2007, com prorrogação até 2009, e atuando como vice-presidente a partir de 2010. Foi conselheiro regional do CRECI 3ª Região - RS de 1982 a 2006, e do Conselho Federal de Corretores de Imóveis de 1985 a 2006.

    É autor da tese e coordenador nacional da mudança do enquadramento sindical dos Corretores de Imóveis, conquista mais importante da categoria após a regulamentação profissional e que originou a Portaria nº 3.245/1986. Esta portaria transpôs a classe para o plano das profissões liberais. Também em defesa da profissão, exerceu os cargos de presidente e coordenador geral em nove edições do Congresso Nacional de Corretores de Imóveis - CONACI.

    Atualmente preside, pelo sexto mandato, a Federação Nacional dos Corretores de Imóveis - FENACI, entidade que fundou em 1986. É secretário nacional de Habitação da Central Sindical União Geral dos Trabalhadores - UGT; vice-presidente de Assuntos Educacionais do Sindimóveis/RS, e vice-presidente da União Mundial das Profissões Liberais - UMPL. Entre as atividades internacionais, destacam-se as participações em cinco Conferências da Organização Internacional do Trabalho - OIT, e atuação como delegado da UMPL junto à Organização das Nações Unidas para a Educação, à Ciência e à Cultura - UNESCO, entre 2005 e 2009.

    Desde 1990, quando iniciou suas atividades na CNPL, exerceu os cargos de 1º vice-presidente, secretário-geral e atualmente é tesoureiro-geral da Entidade. Assumirá a Presidência da Confederação em 2013.
 
Texto publicado na Revista da CNPL, de novembro de 2012