Federação Nacional dos Corretores de Imóveis

  • Aumentar tamanho da fonte
  • Tamanho da fonte padrão
  • Diminuir tamanho da fonte
Imprimir

FENACI E SINDIMÓVEIS-SC HOMENAGEADOS PELA
ASSEMBLEIA LEGISLATIVA DE SANTA CATARINA

Na noite desta quinta-feira, 3/7, em Florianópolis, o Sindicato dos Corretores de Imóveis do Estado de Santa Catariana (Sindimóveis-SC) e a Fenaci serão homenageados em sessão solene promovida pela Assembleia Legislativa catarinense.  A homenagem partiu do deputado estadual Reno Caramori (PP) que propôs a sessão solene em homenagem aos 45 anos da Carta Sindical do Sindimóveis-SC, num ato de reconhecimento aos corretores de imóveis catarinenses e de valorização do sindicato.

O presidente da Fenaci, Joaquim Ribeiro, e o presidente do Sindimóveis-SC,  bem como os demais representantes das entidades homenageadas receberão placas confeccionadas pela própria Assembleia.

Serão também homenageados Admar Gonzaga (in memoriam), fundador do sindicato dos corretores de imóveis em Santa Catarina, que será representado pelo seu filho Armando Gonzaga; Manoel Dias, ministro do Trabalho e Emprego, que é catarinense; Carlos Alberto Schmitt de Azevedo, presidente Confederação Nacional das Profissões Liberais (CNPL); o professor João Diniz Marcelo, corretor de imóveis, especialista em avaliação imobiliária; Carlos Josué Beims, presidente do Conselho Regional de Corretores de Imóveis do Estado de Santa Catariana (Creci-SC);  Fernando Amorin Wilrich, presidente do Secovi/Florianópolis-Tubarão;  Hélio Cezar Bairros, presidente do Sinduscon-Florianópolis; e o corretor de imóveis Wilson Carvalho de Almeida, que tem um legado inegável de lutas em prol da categoria.

PIONEIRISMO – Wilson Carvalho de Almeida foi presidente do Sindimóveis-SC entre os anos de 1991 e 1996, e também presidente do Conselho Regional dos Corretores de Imóveis (Creci-SC).

Uma de maiores contribuições de Almeida à categoria foi a defesa veemente do direito e da capacitação do corretor de imóveis para emitir laudos de avaliações imobiliárias solicitadas pela Justiça, atividade antes exercida apenas por engenheiros.

O Sindimóveis-SC, por sua vez, fará uma homenagem ao deputado que propôs a homenagem, como forma de retribuição. Por sua atitude de reconhecimento aos corretores de imóveis de Santa Catarina, o deputado estadual Reno Caramori será especialmente lembrado durante a sessão solene dos 45 anos da Carta Sindical do Sindimóveis-SC.

APRIMORAMENTO E QUALIDADE DE VIDA – Com 34 anos de profissão Antônio Moser, tem presidido o Sindimóveis-SC desde 2001. Aprimoramento profissional, qualidade de vida do corretor de imóveis e união da categoria são os pontos que define como principais em sua atuação à frente do sindicato catarinense.

Saiba mais sobre Antônio Moser na rápida que entrevista que reproduzimos abaixo.

Como entrou para profissão de corretor de imóveis?

Iniciei as atividades há 34 anos, em 18 de março de 1980. Sempre foi um sonho trabalhar com imóveis e, ao comprar um apartamento em Florianópolis, recebi o convite para trabalhar na área e aceitei.

Desde quando atua na área sindical e quais os cargos que já ocupou?

Desde 1997 me dedico às causas sindicais. No Sindimóveis-SC, ingressei como secretário em janeiro de 1997, após participar de chapa eleita em 1996. Em março de 2001, assumi interinamente a presidência do Sindicato. Depois, fui eleito para a função e assumi o posto como presidente efetivo em janeiro de 2002, ocupando o cargo até hoje.

Qual tem sido sua linha de atuação à frente do Sindimóveis-SC e quais os maiores problemas enfrentados?

Minha atuação difere-se pela luta em prol da união da categoria no Estado e a organização sindical, além da busca por uma qualidade de vida melhor para os corretores de imóveis, seja por meio de convênios que garantam benefícios aos profissionais e seus familiares ou pela defesa dos direitos já conquistados pela classe. Há uma preocupação constante também com o aprimoramento dos profissionais da corretagem imobiliária no Estado. Por isso, o incentivo e a promoção de ações que contemplem o aperfeiçoamento e a capacitação. Para chegar a todos os mais de 15 mil corretores de imóveis registrados no Estado, a diretoria do Sindicato criou as delegacias regionais. Hoje, o Estado, que é dividido em cinco grandes regiões, já conta com 20 delegados regionais, que fazem a função de porta-vozes da entidade nos municípios integrantes de sua região.

Entre os problemas enfrentados em mais de uma década à frente do Sindicato, destaca-se a falta de uma delimitação clara sobre o papel e a função que cada entidade ligada ao setor pode exercer, especialmente em favor – e para proteger – o profissional corretor de imóveis. A dificuldade de agregação da categoria também dever ser lembrada como um entrave a ser superado.

Como viu o XXV Congresso Nacional dos Corretores de Imóveis (Conaci), realizado em Maceió, e como analisa a atuação da Fenaci?

A Fenaci é uma entidade de suma importância para a sobrevivência dos sindicatos, o que consequentemente reflete na vida de cada um dos profissionais. A luta da Federação é constante para garantir os direitos dos profissionais, não raro, superando as influências do poder econômico, que por vezes se mostra menos interessado no bem-estar do trabalhador. O XXV Conaci, assim como os congressos anteriores – e destaco a 23ª edição, realizada em Florianópolis – foram sempre uma oportunidade impar de aperfeiçoamento, trazendo à tona temas relevantes, urgentes e atuais para os profissionais da corretagem. Mas, é sempre uma grata surpresa ver que um Conaci sempre tem um diferencial em relação ao outro, o que certamente agrega em termos de qualidade.

Como analisa o corretor de imóveis em nossos dias? Em que os profissionais evoluíram, o que precisa mudar?

O profissional de hoje tem muito mais responsabilidades do que o corretor de imóveis do passado, que atuava mais como um intermediário das negociações. O próprio Código Civil nos imputa mais responsabilidades e comprometimento, quando nos qualifica como corresponsáveis pelo negócio. Condição que também nos garante mais respeitabilidade. Por isso, hoje o profissional precisa ter mais conhecimento para estar apto a atuar com profissionalismo, honestidade, ética e transparência.  O que precisa mudar é o interesse pelo conhecimento, que necessita ser ampliado, ter uma oferta constante de cursos, palestras, congressos e todo tipo de evento que venha a contribuir com a capacitação permanente dos corretores de imóveis. Aliás, neste aspecto, gostaria de parabenizar a Fenaci pela parceria e trabalho que desenvolve em prol da categoria.