Federação Nacional dos Corretores de Imóveis

  • Aumentar tamanho da fonte
  • Tamanho da fonte padrão
  • Diminuir tamanho da fonte
Imprimir

MAIS DE 7 MILHÕES TRABALHAM OU ESTUDAM FORA
DA CIDADE ONDE MORAM, REVELA ESTUDO DO IBGE

Todo dia, no Brasil, 7,4 milhões de pessoas se deslocam da cidade onde moram para trabalhar ou estudar em municípios vizinhos. Em São Paulo, este trânsito chega a 1,75 milhão e no Rio, 1 milhão de pessoas, de acordo com o estudo “Arranjos Populacionais e Concentrações Urbanas do Brasil”, apresentado dia 25/3 pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Mais da metade da população no Brasil (55,9%) residia, em 2010, em municípios que formavam os arranjos populacionais, ou seja, agrupamentos de dois ou mais municípios com forte integração populacional, devido aos movimentos pendulares para trabalho ou estudo, ou à contiguidade entre manchas urbanas. Isso representava 106,8 milhões de pessoas em 294 arranjos, formados por 938 municípios.

O estudo mostra ainda o Sudeste com o maior número de arranjos (112), que englobam 72% da população da região (57,8 milhões) e o Norte com o menor número (17), envolvendo 23,5% da população local (3,7 milhões). Manaus (AM), Campo Grande (MS) e Palmas (TO) são as únicas capitais estaduais que não formam arranjos populacionais.

As cinco maiores concentrações urbanas eram São Paulo/SP (19,6 milhões de habitantes), Rio de Janeiro/RJ (11,9 milhões), Belo Horizonte/MG (4,7 milhões), Recife/PE (3,7 milhões) e Porto Alegre/RS (3,6 milhões). As concentrações urbanas se caracterizam por forte deslocamento para trabalho e estudo entre seus municípios. Nas duas maiores, os deslocamentos envolvem mais de 1 milhão de pessoas.

É o caso de São Paulo/SP, com 1.752.655 pessoas se deslocando entre seus municípios, e do Rio de Janeiro/RJ, com 1.073.831. Os maiores fluxos ocorrem entre os municípios de Guarulhos (SP) e São Paulo (SP), Niterói (RJ) e São Gonçalo (RJ), Duque de Caxias (RJ) e Rio de Janeiro (RJ) e entre Osasco (SP) e a capital paulista.


Veja no Clipping do Mercado, reportagem completa da Folha de S. Paulo.