Federação Nacional dos Corretores de Imóveis

  • Aumentar tamanho da fonte
  • Tamanho da fonte padrão
  • Diminuir tamanho da fonte
Imprimir

PREÇO DO M² DO IMÓVEL TEVE VALORIZAÇÃO REAL SÓ
EM TRÊS DE 33 CIDADES ANALISADAS, REVELA ESTUDO

O portal de anúncios de imóveis VivaReal divulgou dia 8/4 o índice DMI (Dados do Mercado Imobiliário), com análises referentes a indicadores do setor imobiliário no 1º trimestre de 2015. Neste trimestre, a amostra contemplou 33 cidades em diferentes regiões do País. Entre os mercados analisados, apenas Brasília (+10,4%), Balneário Camboriú (+ 4,4%) e Goiânia (+3,8%) apresentaram valorização real para venda no período – acima do IPCA acumulado para o primeiro trimestre de 2015 (3,50%).

O DMI é o resultado de levantamento realizado pelo portal com sua base de mais de 3 milhões de classificados. O índice também teve como destaques em valorização do preço mediano de venda Florianópolis (+3,2%), Vitória (+ 2,7%) e Salvador (+2,6%).

Em relação à desvalorização, seis cidades tiveram queda nominal no valor médio do metro quadrado do imóvel: Joinville (-5,2%), Porto Alegre (- 1,5%), Belo Horizonte (-0,4%), Londrina (- 0,3%), Fortaleza (-0,2%) e Barueri (-0,2%).

Mesmo com a desaceleração da economia e com o impacto já percebido no mercado imobiliário neste primeiro trimestre de 2015, Lucas Vargas, vice-presidente Comercial do VivaReal, defende que o consumidor não deve esperar por uma queda brusca nos preços para comprar seu imóvel.

“Apesar de ter ocorrido queda real no valor mediano do metro quadrado em algumas cidades, não vemos variações que justifiquem que os valores dos imóveis venham a ter uma grande redução nos próximos meses", afirma Vargas.

No período analisado, Brasília (R$ 8.400,00/m²), Rio de Janeiro (R$ 7.394,03/m²) e Balneário Camboriú (R$ 6.875,00/m²) apresentaram os preços medianos do m² mais caros. Os mais baratos foram em cidades do interior, como Novo Hamburgo (R$ 2.833,33/m²), São Leopoldo (R$ 3.012,42/m²) e Sorocaba (R$ 3.103,44/m²).

SUL É DESTAQUE NO ALUGUEL – No 1º trimestre do ano, a Região Sul teve três das cinco cidades com maior valorização no preço mediano do m² para aluguel.

Em primeiro lugar ficou Balneário Camboriú, com +27,7% de valorização – a cidade também ficou entre as cinco mais valorizadas para venda. Em seguida podemos apontar Londrina (+8,6%) e Canoas (+4,9%).

Além disso, se destacaram Jundiaí (+ 3,8%) e Guarulhos (+3,7%) entre as mais valorizadas. O cenário de aluguel se mostrou mais positivo que o de venda, uma vez que 13 entre as 33 cidades estudadas apresentaram crescimento acima do IGP-M acumulado (1,04%).

As principais desvalorizações ocorreram em Natal - com queda de -4,5%, seguida por João Pessoa (-4,4%), Rio de Janeiro (-2,8%), Vitória (-1,75%) e Barueri (-1,33%). As cinco cidades com o m² mais caro para aluguel são: Rio de Janeiro (R$ 42,86/m²), São Paulo (R$ 36,76/m²), Brasília (R$ 33,19/m²), Barueri (R$ 31,01/m²) e Santos (R$ 29,85/m²).

Para realizar simulações ou baixar o relatório completo, acesse www.vivareal.com.br/dmi.