Federação Nacional dos Corretores de Imóveis

  • Aumentar tamanho da fonte
  • Tamanho da fonte padrão
  • Diminuir tamanho da fonte
Imprimir

SINDICATO DE CORRETORES DE IMÓVEIS DO MUNICÍPIO
DO RIO COMEMORA 80 ANOS DE PIONEIRISMO E LUTAS

Nesta segunda-feira, 9/1/2017, o presidente da Fenaci, Joaquim Ribeiro, participa dos eventos que marcarão os 80 anos de fundação do Sindicato dos Corretores de Imóveis do Município do Rio de Janeiro. As comemorações se iniciam às 11h com Missa em Ação de Graças na Igreja Nossa Senhora Mãe dos Homens, na Rua da Alfândega, 54, centro do Rio, prosseguindo na sede do Sindicato, na Avenida Presidente Vargas, 417, 22º andar.

Após o almoço, que tem início previsto para o meio-dia, a programação em comemoração às oito décadas de história do Sindicato tem sequência às 15h, com uma palestra da empresa Viva Real. A partir das 15h30, haverá uma sessão de homenagens a antigos funcionários e a inauguração da galeria de fotos dos ex-presidentes da entidade.

Às 17h acontecerá a palestra magna do professor Alexis Cavichinni Teixeira, que terá como tema “A Importância do Corretor de Imóveis na Economia”. Antes, segundo o atual presidente do Sindicato, Zaldo Natzuka Júnior, líderes de diversas entidades voltadas ao mercado imobiliário, entre eles o presidente da Fenaci, Joaquim Ribeiro, falarão sobre as funções e as atividades das organizações que representam. As comemorações se encerram com uma confraternização geral, que terá inclusive apresentações de música ao vivo.

RESGATE DA HISTÓRIA – Zaldo Natzuka Júnior, corretor de imóveis desde 1998, é presidente do Sindicato dos Corretores de Imóveis do Município do Rio de Janeiro desde abril do ano passado. Para ele, as comemorações buscam resgatar um importante momento histórico para a categoria e para o país, a partir da fundação da entidade sindical carioca.

“Na época, a capital federal era o Rio de Janeiro, e o que acontecia aqui ecoava em todo o Brasil. Temos consciência da importância do Rio neste período, quando algumas pessoas se juntaram para tentar organizar melhor a cidade e aí se fundou o Sindicato. Foi o primeiro da categoria, fundado a 9 de janeiro de 1937. E foi também uma dos primeiros sindicatos do Brasil. O presidente era Getúlio Vargas, que abriu as portas para o sindicalismo. Esses corretores de imóveis se reuniram em torno de uma visão, imaginando que a informação de um juntada com a do outro gerava mais negócios, mais dinheiro e melhor atendimento ao cliente”.

EQUILÍBRIO DE FORÇAS – Segundo Natzuka Júnior, as entidades sindicais são de fundamental importância para equilibrar as forças e as negociações entre capital e trabalho, além de propiciar melhores condições para o exercício da atividade profissional. Ele lembra conquistas da entidade que atualmente preside em prol dos corretores de imóveis.

“Aqui no Rio de Janeiro, principalmente na década de 1970, foi graças aos esforços do Sindicato que, por exemplo, passou a existir a obrigatoriedade de banheiros masculinos e femininos nos estandes de lançamento”.

Hoje, de acordo com o dirigente, além do suporte mínimo para o exercício da atividade profissional, cabe ao Sindicato atuar firmemente na formação do profissional corretor de imóveis, pois o conhecimento é o grande diferencial da categoria, principalmente em tempos difíceis como os atuais.

“Até bem recentemente, quando o mercado estava em alta, era só mostrar o imóvel que o cliente acabava fechando negócio. Atualmente, se o corretor não o tiver o conhecimento, não vai conseguir gerar negócio, não vai ter sucesso”, pondera, destacando que um dos pontos altos das comemorações pelos 80 anos do Sindicato será justamente “a abertura de espaço para que os dirigentes de entidades voltadas ao setor possam relatar aos corretores de imóveis presentes, principalmente aos mais jovens, o que significam e o que fazem as organizações que conduzem”.

A semente do Sindicato dos Corretores de Imóveis do Município do Rio de Janeiro começou a brotar no ano de 1936, com a formação de uma Junta de Corretores de Imóveis. Mas foi apenas no ano seguinte, 1937, que a história pioneirismo e lutas começou a ser escrita, com a outorga da Carta Sindical. Aí nasceu, de fato e de direito, o Sindicato dos Corretores de Imóveis do Município do Rio de Janeiro, primeiro da categoria criado no país, quando a profissão sequer era regulamentada.