Federação Nacional dos Corretores de Imóveis

  • Aumentar tamanho da fonte
  • Tamanho da fonte padrão
  • Diminuir tamanho da fonte
Imprimir

PESQUISA SOBRE LOTEAMENTO É DESTAQUE
NO ANUÁRIO DO MERCADO IMOBILIÁRIO 2018

Pesquisa sobre o segmento de loteamentos, com amostragem de 55 cidades do Estado de São Paulo, foi a novidade e um dos destaques do Anuário do Mercado Imobiliário 2018, apresentado na manhã de 27/3/2019, em São Paulo, pelo Departamento de Economia e Estatística do Secovi-SP. Em sua 4ª edição, o levantamento traz detalhadas informações sobre os diversos segmentos do mercado imobiliário, envolvendo dados de produção e comercialização de imóveis na cidade de São Paulo, Região Metropolitana e Interior de SP, bem como números nacionais do mercado imobiliário, imóveis de terceiros, financiamento imobiliário e condomínios, entre outros aspectos.

“Os loteamentos aprovados, só nestas 55 cidades do Estado de São Paulo, geram em torno de 70 mil empregos diretos na implantação dos empreendimentos. Essa implantação de loteamentos envolve investimentos e infraestrutura de R$ 900 milhões, lembrando que essa infraestrutura é feita pelo investidor, ou seja, pela empresa, e depois é doada ao poder público – para a prefeitura, a concessionária de água e esgotos ou energia”, frisou Celso Petrucci, economista-chefe do Secovi-SP, para ressaltar a importância desse segmento no mercado imobiliário e na economia do país.

Desenvolvida em parceria com a Aelo (Associação das Empresas de Loteamento e Desenvolvimento Urbano) e a consultoria da Brain (Bureau de Inteligência Corporativa), a pesquisa sobre loteamento apontou que nestas cidades, no ano passado, foram lançados 26,4 mil lotes, com um VGV (Valor Global de Vendas) de R$ 3,1 bilhões. Em 2018, o município que registrou o maior número de lotes protocolados no Estado de São Paulo foi São José do Rio Preto, com 6.670 lotes previstos.

SEM GARAGENS – Outros aspectos que, segundo Petrucci, conferem relevância à atividade de loteamento estão relacionados ao meio ambiente e áreas institucionais.

“No ano passado, nestas cidades tivemos em áreas verdes e de preservação 3,9 milhões metros quadrados, o que dá aproximadamente 780 campos de futebol. A doação de áreas institucionais às prefeituras, como locais para serem feitas escolas, postos de saúde e outros equipamentos públicos, atingiu mais de 780 mil metros quadrados”, complementou Petrucci, lembrando que a cada ano o Brasil forma de 1,2 milhão a 1,5 milhão de domicílios permanentes, “e grande parte disso sai dos loteadores, das empresas de desenvolvimento urbano espalhadas por todo o pais”.

Entre uma infinidade de informações significativas que constam do Anuário, Petrucci pinçou um dado bastante surpreendente envolvendo o mercado de imóveis residenciais na cidade de São Paulo em 2018, que foi o número de lançamentos sem vaga de garagem. “Quase 40% das unidades lançadas em São Paulo – e foram mais de 32 mil – não têm vaga de garagem. O que mostra que essa questão de mobilidade é algo muito importante e que se consolidou no mercado ao longo das linhas de metrô, ao longo das linhas de trem e próximo às estações”, comentou.

Na abertura da apresentação, Basilio Jafet, presidente do Secovi-SP destacou a qualidade das informações divulgadas no Anuário 2018 e elencou medidas na área governamental que podem reaquecer o mercado imobiliária, destacando entre elas a Reforma da Previdência.

Faça do download e conheça em detalhes os levantamentos que integram o Anuário do Mercado Imobiliário 2018.