Federação Nacional dos Corretores de Imóveis

  • Aumentar tamanho da fonte
  • Tamanho da fonte padrão
  • Diminuir tamanho da fonte

XVIII Conaci - Congresso Nacional de Corretores de Imóveis

Imprimir

24, 25, 26 e 27 de maio de 1998 - Curitiba, Paraná

 

XVIII Conaci - Congresso Nacional de Corretores de Imóveis
24, 25, 26 e 27 de maio de 1998
Curitiba, Paraná

Carta de Curitiba

Os corretores de imóveis do Brasil, reunidos no Teatro Fernanda Montenegro, em Curitiba, Estado do Paraná, nos dias 24, 25, 26 e 27 de maio de 1998, realizaram o XVIII CONACI – Congresso Nacional de Corretores de Imóveis.

O evento foi promovido pela FENACI – Federação Nacional dos Corretores de Imóveis e realizado pelo SINDIMÓVEIS/PR – Sindicato dos Corretores de Imóveis no Estado do Paraná.

Os trabalhos oficiais foram iniciados às 09h:25 min do dia 25, quando foi aberta a Sessão Preparatória que apresentou e aprovou o Regimento Interno que regeria o desenvolvimento dos painéis, sessões plenárias, palestras e seminários.

De acordo com decisões da Comissão Organizadora, respaldada pelos anseios dos sindicatos e pelo delicado momento político que o conjunto de entidades de profissionais corretores de imóveis presencia, o temário contemplou ¾ de apresentações técnicas e ¼ de explanações e discussões políticas, estas situadas no último dia de trabalhos do Congresso.

O programa foi cumprido com apenas duas intercorrências, sem prejuízo do projeto, e o auditório manteve-se com o mesmo número de participantes no transcorrer do evento, demonstrando interesse dos colegas congressistas pelos assuntos abordados, o que pôde ser comprovado na Auditoria de Opinião do público.

Ocorreram manifestações de agrado e reconhecimento ao desempenho da Comissão Organizadora deste evento, que, mesmo diante das imensas dificuldades de ordem financeira e política, muito bem desempenhou o seu papel de Organizadora e anfitriã, conseguindo atingir os objetivos previstos.

O XVIII CONACI previa, quando de seu primeiro planejamento, a apresentação de temas que situassem o corretor de imóveis dentro da realidade do Terceiro Milênio, que se antecipou tecnológica, científica e organizacionalmente, para países e pessoas privilegiadas, às vésperas da virada do século XXI. Sob a égide do tema “Venha dar uma bicada no ano 2000”, o Congresso mostraria cases e apresentações práticas de usuários de soluções inovadoras, modernas e que estavam previstas para acontecer apenas no próximo século. Desta forma, a atualização dos colegas dar-se-ia através da utilização de exemplos práticos e experiências vividas e com metodologia andragógica.

Este planejamento sofreu algumas alterações no final do ano de 1997, dada a profunda mudança na conjuntura dos corretores de imóveis, com a publicação de sucessivas Medidas Provisórias e com a instalação de ânimos acirrados entre Sindicatos e Conselhos, o que culminou, inclusive, em boicote dos Conselhos e do Cofeci ao CONACI, como represália as liminares impetradas pelos Sindicatos para que os valores das anuidades cobradas pelos Crecis se limitassem ao valor máximo previsto pela Constituição Federal.

A Confederação Nacional dos Profissionais Liberais, órgão máximo na hierarquia do movimento sindical dos profissionais liberais, trouxe como principal contribuição ao CONACI, a palestra de seu presidente, Sr. Luiz Eduardo Gautério Gallo, que, em abril, durante Congresso Mundial da categoria, foi eleito Presidente da União Mundial das Profissões Liberais. Em sua palestra, anteviu que o profissional corretor de imóveis se transformará em consultor, o que exige especialização e muito estudo.

Os espaços urbanos foram objeto de ampla discussão. Previsões apresentadas sobre a tendência da ocupação urbana apontaram que, a partir do ano 2010, oitenta por cento da massa trabalhadora estará morando nas cidades, e vinte por cento no campo. Os intermediadores de negócios imobiliários tem participação efetiva nas ações de adequação das cidades.

Com a preocupação da globalização e da internacionalização do comercio e dos serviços, foi amplamente discutido o funcionamento da profissão do corretor de imóveis junto aos países do MERCOSUL, resultando de tais discussões a necessidade de uma integração maior junto a esses países.

Jorge Porazzo, presidente da Federação Imobiliária da Argentina (FIRA), Andres Ferro, fundador e membro da Associação Paraguaia de Empresas Loteadoras (APL) e Jorge Quesada, membro fundador e diretor da FIABCI Capítulo do Uruguai, durante o Painel Experiências Profissionais dos Países do Mercosul esclareceram sobre o funcionamento da profissão de corretor de imóveis nos seus respectivos países e discorreram a respeito da necessidade e a importância de intercambio entre os profissionais que pretendem atuar junto ao mercado imobiliário do Mercosul.

A Mediação, que vem se consolidando no país pelas mãos do Sr. Ângelo Volpi, foi apresentada pelo mesmo, que elencou as vantagens para o corretor que contar com um mediador.

Fidelização de clientes, os termos-chave do marketing contemporâneo foi demonstrada através da experiência da Rossi Residencial, de São Paulo.

A prevenção do stress, doença que vem crescendo entre a categoria dos corretores de imóveis, foi ensinada através da palestra do Dr. Joaquim Monte e de vídeos, exibidos em intervalos.

O Sistema de Financiamento no Brasil, linhas de credito e formas de escolher o melhor negócio, preocupação de toda a categoria para atender a clientela e para viabilizar seus próprios empreendimentos, foi tema do diretor do Instituto Brasileiro de executivos de Finanças, Sr. Sérgio Volk.

Rogério Florenzano, diretor da Gazeta do Povo em muito contribuiu com os corretores de imóveis, ao relatar sobre a importância de um bom anuncio na venda e locação de imóveis, e como obter e mensurar resultados.

A responsabilidade do profissional frente ao Código do Consumidor, as garantias dos negócios e dos imóveis, assuntos muito importantes face a recentes acontecimentos no país, como o desabamento de edifícios e a quebra financeira de construtoras foi tema da palestra do Sr. Luís Miguel Gutierrez e assunto que permeou diversas apresentações.

Motivação, qualidade de vida, conhecer o cliente e sua forma de pensar são preocupações constantes da categoria, que teve a oportunidade de conhecer melhor vários ângulos e estudos psicológicos, de neurolingüística e clínicos.

O avanço tecnológico foi destacado com grande preocupação, pois o corretor de imóveis que não se adaptar à nova realidade poderá ficar à margem do mercado de trabalho.

Foi traçada uma panorâmica geral da profissão, cuja lei pode ser alterada a qualquer momento sem que os corretores de imóveis e seus representantes legais sejam ouvidos; a ameaça de extinção dos sindicatos sem conseqüência das ações dos Conselhos, o que pede reação premente.

Após ampla discussão e votação em plenário, foram aprovada as seguintes moções e recomendações:

MOÇÃO 1
Repudiar qualquer tentativa de alteração ou mudança da regulamentação da profissão de corretor de imóveis, sem amplo debate prévio junto às bases e às entidades representativas da categoria;

MOÇÃO 2
Gestionar perante as entidades que representam os países do MERCOSUL no sentido de conquistar uma vaga para a FENACI representar os corretores de imóveis junto a estas organizações;

MOÇÃO 3
Recomendar que sejam adotadas providencias junto às administrações dos Sindicatos, dos CRECIs e do próprio COFECI, no sentido de amenizar provocações e acusações mútuas que resultem em prejuízos para a classe.

MOÇÃO 4
Louvar a eleição do companheiro Corretor de imóveis Carlos Alberto Schmitt de Azevedo para o cargo de Tesoureiro Geral da União Mundial dos Profissionais Liberais (UMPL), o que muito honra a categoria, demonstrando a força dos corretores de imóveis e de todo o Brasil.

RECOMENDAÇÃO 1
Que seja vedada, estatutariamente, para ocupantes de cargos de Sindicatos de Corretores de Imóveis, a simultaneidade com cargos de direção de outras entidades de classe do setor imobiliário.

RECOMENDAÇÃO 2
Que seja criado um fundo de apoio ao Conaci, para dirimir os problemas de caixa enfrentados em todas as edições do evento, com contribuições dos Sindicatos ao longo dos anos que separam uma edição de outra, e com a colaboração e co-gestão da FENACI.

Nós, corretores de imóveis de todo o Brasil, conscientes de que atendemos ao chamamento da nossa Federação e de que cumprimos com êxito a missão de salvaguardar nossos interesses profissionais ficaremos atentos e vigilantes na defesa da coletividade, e lavramos, ao final deste Congresso, este documento, intitulado Carta de Curitiba, para divulgação e registro nos anais da nossa história.

Curitiba, 27 de maio de 1998.


Leonir Stedile
Presidente do XVIII Conaci

Fotos do Evento